Planalto intensifica ofensiva para atrair apoio do MDB e cogita ministério para Temer




Ismael Alves
ismaelgravatafm@gmail.com
(81) 99139-7305


Integrantes do Palácio do Planalto intensificaram, nos últimos dias, a ofensiva para atrair o apoio de deputados do MDB à candidatura do líder do Progressistas, Arthur Lira (AL), à presidência da Câmara e para firmar a legenda na base aliada do governo.

Hoje, os emedebistas compõem, em tese, o grupo do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), adversário de Lira. O presidente nacional e líder do MDB na Casa, Baleia Rossi, é um dos que se articulam para ser o candidato de Maia na disputa.


Para tentar fisgar os emedebistas, integrantes do Planalto passaram a procurar deputados da sigla. Na negociação, oferecem liberação de emendas parlamentares do Orçamento e apadrinhamento de recursos e obras tocadas por ministérios.

Temer ministro

Em outra linha, militares do governo Bolsonaro acenam ao MDB com a possibilidade de o ex-presidente Michel Temer, uma das principais lideranças do partido, ser indicado ministro das Relações Exteriores no lugar de Ernesto Araújo.

A avaliação de generais é de que a nomeação de Temer ajudaria não só a amarrar o MDB na base aliada do governo, como a aproximar o Brasil do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, com quem Temer teria uma boa relação.

Bolsonaro e Temer devem se encontrar nesta terça-feira (15) em São Paulo, em almoço com a comunidade libanesa. A convite de Bolsonaro, o emedebista liderou a missão que levou ajuda humanitária ao Líbano em agosto, após a explosão em Beirute.

Recentemente, ofensiva do Planalto conseguiu que o Republicanos abandonasse o grupo de Maia e lançasse candidatura independente de seu presidente nacional, deputado Marcos Pereira (SP), ao comando da Câmara na disputa de 1º de fevereiro. Com informações da CNN. 


Siga nossas redes sociais

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem