Coluna especial • Pernambuco rumo ao Lockdown? • Por Ismael Alves




Ismael Alves
ismaelgravatafm@gmail.com
(81) 99139-7305


O pernambucano anda com mais medo de um eventual lockdown do que mesmo do próprio coronavírus. Ficou o trauma do ápice do isolamento social, ocasião da qual se tornou crime até caminhar à beira mar.

Se de um lado houve excesso ou até mesmo abuso, do outro faltou cuidado e responsabilidade. Era proibido caminhar na orla das praias, mas era permitido - e obrigatório para quem não tinha outra opção - circular nos ônibus abarrotados de pessoas. O governador Paulo Câmara (PSB) teve a brilhante ideia de reduzir a oferta de ônibus em até 47% no Grande Recife e proibiu qualquer forma de reunião com número superior a 10 pessoas.

Enquanto isso, a rede pública estadual de saúde que já vivia com  um pé na cova antes mesmo da pandemia, não foi - nem está sendo - capaz de prestar a devida assistência ao povo pernambucano. 

Pra piorar, na reta final de 2020, ano marcado pela pandemia e tantos outros desafios, nem pensar em confraternização! E não adianta justificar que vai usar máscara ou higienizar as mãos com álcool 70. 

Passada as eleições, fica terminantemente proibida a realização de festas natalinas ou confraternizações em Recife ou qualquer lugar de Pernambuco. Na véspera de ano novo, bares e restaurantes abertos até às 20h, apenas. 


Nem adianta chiar que a ordem é do todo poderoso Paulo Câmara. Se reclamar, ele sai candidato a vice-presidente em 2022 com Luciano Huck. Socorro! 

Siga nossas redes sociais

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem