Ticker

6/recent/ticker-posts

Dani Portela fala como líder do PSOL, diz que é hora de vencer Bolsonaro e critica PSB



Na condição de líder da bancada do PSOL na Câmara Municipal do Recife, cargo que foi anunciado hoje, a vereadora Dani Portela disse, em discurso realizado na tribuna do plenário que, juntamente com o vereador Ivan Moraes, também membro do partido, lutarão “todos os dias para seguir combatendo o bolsonarismo e suas implicações”. Além desse enfoque, ela aproveitou a oportunidade para fazer considerações sobre a gestão pública do PSB Recife. “Somos governados há anos pelo mesmo partido, que se preocupa mais com a imagem pública do que com ações efetivas para a população. Precisamos falar em alternância de poder”, defendeu, na reunião Ordinária desta segunda-feira (7), a primeira realizada de forma híbrida, na Casa de José Mariano.

A vereadora Dani Portela disse que 2022 promete ser um ano de muitos avanços no Recife e em todo o País. “Avanços que não virão com facilidade, mas já adianto que começo com a energia e a disposição para lutar por uma sociedade mais inclusiva e com menos desigualdade social”. Ela lembrou que neste ano será decidido o futuro político do País, “e vamos pôr um fim a esse desgoverno de morte”. Tirar o presidente Jair Bolsonaro do poder, segundo a parlamentar, é missão “de todas e todos nós que acreditamos que um Brasil mais igualitário é possível. Precisamos não só tirar Bolsonaro, mas derrotar o bolsonarismo, que está tão escancarado através do racismo, da misoginia, da LGBTQIfobia, do capacitismo e de tantas outras formas de opressão”.

Depois dessa abordagem, e sublinhando sua atual condição de líder da bancada do PSOL, na Câmara Municipal do Recife, ela falou sobre a questão política local. “No Recife, vivemos uma realidade bastante delicada: somos governados, há anos, por um partido que sempre se preocupou mais com sua imagem pública do que com suas efetivas ações públicas”. O PSB, conforme disse a vereadora, no plenário, é um partido bem equipado em sua gestão de imagem, “estando sempre mais preocupado em mostrar que está fazendo grandes coisas pela nossa cidade, do que de fato investindo nela e cuidando de quem mais precisa”.

Dani Portela argumentou que essa realidade ficou evidente no ano passado, quando, mesmo em tempos de tanta desinformação e fakenews, o PSB preferiu, em sua opinião, priorizar a publicidade institucional em detrimento da educativa. “O PSB gastou R$ 15 milhões em propaganda institucional e pouco mais de R$ 5 milhões com a propaganda educativa”. Lembrou, também que, na terça-feira passada, dia 1º de fevereiro, na abertura dos trabalhos Legislativos, o prefeito João Campos esteve presente na Câmara. “Em seu discurso, ele disse querer prestar contas e mostrar o relatório de gestão. O que vimos aqui, assim como o documento que foi nos enviado, mais pareciam peças publicitárias do que um relatório técnico, baseado em pesquisas e levantamento de dados, como deveria ser”.

Ela acrescentou que o público vê um PSB longe do real. “Temos um PSB que deveria ser o partido da gestão pública, da execução de planejamentos para a nossa cidade. No entanto, temos o PSB que não articula seus projetos de lei de uma maneira clara e transparente”. Para dar um exemplo do que estava falando, a vereadora citou o PPA (Plano Plurianual) e a LOA (Lei Orçamentária), ambos propostos ano passado. “Aqui, nessa Casa, abriu-se uma ampla discussão do quanto o texto original entregue pela Prefeitura precisava melhorar, do quão mais específico e claro ele precisava ser. Mais de 700 emendas foram propostas ao texto original. Poucas, no final, foram aprovadas”.

Nessa mesma linha crítica, ela assegurou que o Relatório Anual apresentado no dia primeiro de fevereiro aos vereadores, está em dissonância com os projetos de leis orçamentárias e de planejamento sancionados no ano passado pela gestão de João Campos. “Mais uma vez, vemos um PSB que parece ter dois lados: o da gestão pública e o da gestão de sua imagem pública, e, infelizmente, a gestão pública precisa avançar muito”.

O vereador Rinaldo Júnior (PSB) pediu um aparte. Ele disse que, pelo tom do discurso da vereadora, “parece que a eleição começou hoje”. Ele fez uma breve retrospectiva eleitoral e lembrou que o PSB venceu a eleição municipal de 2020, no Recife, contra um bloco de que o PSOL participou. “O PSB ganhou aquela eleição com uma diferença de mais de 100 mil votos. Mas, quero lembrar à vereadora, que a eleição já passou e o palanque deve ser desarmado”. Para Rinaldo Junior, o prefeito João Campos tem feito muito pela cidade e está construindo uma gestão inovadora. “João Campos tem quase 80% de aprovação dos recifenses. É preciso ter calma. João Campos tem feito muito mais, e ele dá a cara e vai além da propaganda. Ele vai de forma contrária a este governo Federal que está aí no enfrentamento da covid-19, o que é uma luta árdua. Peço que deixemos as eleições um pouco mais para frente”.