Ticker

6/recent/ticker-posts

Ao percorrer Agreste e Sertão, Cabo Aênia volta a denunciar "falta de investimentos na segurança pública e "abuso de poder" contra policiais; pré-candidata à deputada estadual criticou defasagem salarial


Ismael Alves - A pré-candidata à deputada estadual Cabo Aênia (PL), liderança expressiva no segmento da segurança pública em Pernambuco, voltou a reivindicar por melhores condições de trabalho e valorização para os policiais e bombeiros militares. 

Ao cumprir agenda em cidades das regiões Agreste e Sertão, Aênia conversou com policiais e bombeiros e conheceu de perto os problemas por eles enfrentados. Entre as queixas apresentadas à pré-candidata, destacam-se "falta de estrutura nos quartéis e equipamentos defasados que dificultam o combate à criminalidade", relatou Cabo Aênia ao editor deste blog.

Outros pontos de insatisfação relatados pelos policiais sertanejos são as faixas salariais e a defasagem de 33,5% nos salários. Cabo Aênia ressalta que desde o ano de 2016 até a presente data, o reajuste recebido pelos policiais militares corresponde a 20%, no entanto, devido a Legislação estadual em vigor, muitos policiais contribuem, obrigatoriamente, mais de 10% do salário para o funafins.

"Abuso de Poder"

Além da estrutura obsoleta, das faixas salariais e da perca salarial, há outro problema que dificulta ainda mais o trabalho dos policiais militares, revelou cabo Aênia: "abuso de poder". ela explica que a situação, relatada por policiais do Sertão, ocorre por meio de "uma escala como forma de punição para policiais que não atingem metas do programa Pacto pela Vida". Esses policiais são submetidos à escalas de serviço de 12x36. "Essa escala para policiais do Sertão que residem longe da sede é desumana", disparou Cabo Aênia. 

Ela defende "o que preconiza o Artigo 3° do Parágrafo 1° do CDMEPE", que diz: "o mais graduado deve tratar o subordinado com eduação e justiça, interessando-se pelos seus problemas". Cabo Aênia afirmou que a situação demonstra "falta de tratamento urbano com os subordinados dentro do próprio quartel", denunciou a pré-candidata.