Ticker

6/recent/ticker-posts

Projeto de Alcides Cardoso obriga Prefeitura do Recife a dar transparência sobre gastos e motivações de viagens aéreas de João Campos

Foto: Phillipe Jonathan/Divulgação

O vereador Alcides Cardoso (PSDB) apresentou um projeto de lei para obrigar a Prefeitura do Recife a informar os gastos com diárias e viagens aéreas do prefeito e de seus auxiliares, além das motivações para os deslocamentos. Em discurso na reunião ordinária da Casa de José Mariano nesta terça-feira (17), o parlamentar defendeu a proposta para dar transparência a essas viagens.

“Essa é uma questão que vai além do embate político que surge do questionamento simples de que o chefe do Executivo passa muito tempo fora da cidade que deveria zelar. O fato é que a administração municipal deve fornecer as informações dos gastos com passagens e diárias, além de expor as razões que levam o prefeito e seus auxiliares a viajarem bancados pelo contribuinte”, disse Alcides Cardoso.

A proposta prevê a divulgação de forma individualizada, depois de 30 dias da execução das despesas com viagens, dos nomes dos passageiros, dos cargos e da lotação deles, das datas das viagens, dos destinos, dos valores das passagens, das empresas responsáveis pela prestação do serviço de deslocamento e das motivações.

O projeto também contempla os gastos do Poder Legislativo municipal nessa área. E também inclui os gastos com passagens de pessoas que não compõem a estrutura do poder público municipal e as justificativas para que essas despesas sejam bancadas pelos cofres públicos.

“Mesmo diante desses questionamentos, o prefeito João Campos resolveu tirar férias após, segundo ele, ‘trabalhar um ano e quatro meses sem parar’. Um trabalho que incluiu, no horário do expediente, o ato de filiação do ex-governador Geraldo Alckmin ao seu partido em plena manhã de uma quarta-feira, em Brasília”, ironizou o oposicionista.

O vereador informou que os dados sobre o dinheiro público gasto pela prefeitura com diárias e passagens continuam desatualizados no Portal da Transparência. O último registro é de junho do ano passado.

“E cabe ressaltar que não é possível ver os custos dos deslocamentos do prefeito e sim o dinheiro gasto com os seus auxiliares. O que é um tremendo absurdo porque nega o direito do cidadão recifense de saber como o seu dinheiro está sendo gasto”, ressaltou Alcides Cardoso.