Ticker

6/recent/ticker-posts

Três meses após exoneração de Pedro Eurico, Secretaria de Justiça e Direitos Humanos continua com secretário interino que defendia interesses dele


G1 - Três meses após a exoneração do então secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos Pedro Eurico de Barros e Silva, essa secretaria do governo de Pernambuco continua com Eduardo Gomes de Figueiredo como interino.

Pedro Eurico pediu afastamento do cargo que ocupava há seis anos após a ex-esposa, Maria Eduarda Marques de Carvalho, denunciar que foi agredida e ameaçada de morte por ele ao longo de 25 anos.

A nomeação de Eduardo Figueiredo como interino ocorreu no dia 8 de dezembro, um dia após as denúncias contra Pedro Eurico serem exibidas pela TV Globo. A ligação entre os dois ia além do âmbito profissional, pois o atual secretário interino atuou como advogado de Pedro Eurico no processo de divórcio com Maria Eduarda.

Insatisfeitas com essa situação, instituições ligadas aos direitos humanos protocolaram um ofício e pediram o afastamento de Eduardo Figueiredo da secretaria. Uma denúncia também foi feita ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Após a nomeação, o governo do estado informou que Eduardo Figueiredo estava respondendo interinamente enquanto um novo secretário não era nomeado. Três meses depois, o governo disse que ele permanece respondendo pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco e que "sua efetivação ou substituição, caso ocorram, serão registradas pelo Diário Oficial do Estado".

Eduardo Figueiredo trabalhava com Pedro Eurico desde 2007, quando, ainda estudante de direito, fez parte da assessoria jurídica do então deputado estadual. Em 2012, quando Pedro Eurico assumiu o cargo de secretário da Criança e Juventude, Eduardo passou a atuar, no mesmo local, como secretário executivo de Articulação e Programas.

Além disso, quando Pedro Eurico foi nomeado secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Eduardo assumiu como secretário executivo de Justiça e Promoção dos Direitos do Consumidor.

Entre 2017 e 2018, Eduardo foi secretário executivo de Direitos Humanos, ainda na secretaria que era comandada por Pedro Eurico, e, em 2019, assumiu o cargo de secretário executivo de Coordenação e Gestão, no mesmo órgão estadual.

Após a posse de Eduardo como interino, o escritório Gomes de Figueiredo Advogados Associados informou que não representava mais Pedro Eurico no processo de divórcio e no acompanhamento de medida protetiva contra ele.

Também declarou que, a partir da nomeação, Eduardo Figueiredo se afastou das atividades administrativas e jurídicas do escritório. Quem assumiu a defesa do ex-secretário no processo de divórcio foi o escritório Sílvio Neves Baptista.

As denúncias

As denúncias contra Pedro Eurico vieram à tona no dia 7 de dezembro, com a entrevista da ex-esposa, a economista aposentada Maria Eduarda de Carvalho, para a TV Globo. Ela relatou ter registrado, ao longo dos anos, dez boletins de ocorrência, sendo o primeiro deles no ano 2000 e contou que ele costumava bater e cuspir nela .