Ticker

6/recent/ticker-posts

Em nota, presidenciáveis repudiam ataques da Rússia à Ucrânia, defendem "restauração da paz" e pedem a governo brasileiro posicionamento pró-Ucrânia



Ismael Alves - Por meio de uma nota assinada de forma conjunta e publicada nas redes sociais nesta terça-feira, 01, os presidenciais Sérgio Moro (PODE), João Dória (PSDB), Simone Tebet (MDB) e Felipe D'Ávila (NOVO) repudiaram os ataques e invasão russa à Ucrânia, além de pedir que a Rússia retome a diplomacia para a "restauração da paz". A nota também alfinete a postura neutra de Bolsonaro e defende que o Governo Brasileiro se una "às nações que defendem a soberania da Ucrânia e a solução pacífica para o conflito". 

O manifesto foi publicado nas redes sociais dos quatro pré-postulantes e recebeu ampla adesão de internautas. A manifestação dos pré-candidatos ocorre no sexto dia de guerra na Ucrânia. Sob comando de Bolsonaro, o Brasil tem mantido posição de neutralidade frente ao conflito bélico.

Confira a íntegra da nota:

Defesa da paz, soberania nacional e da legitimidade da ordem internacional sempre pautou a política externa brasileira. Quando esses princípios cardeais são violados, não há espaço p/ neutralidade. É preciso defendê-los de maneira inequívoca por meio de nossas escolhas e ações.

Ataque militar da Rússia à Ucrânia é uma tentativa condenável de mudar o status quo da Europa por meio da força, estimula a retomada de uma corrida armamentista e coloca em risco a soberania de países que lutaram contra tiranias por liberdade e inserção na comunidade das nações.

Portanto, nós, pré-candidatos à presidência da República, tornamos público o nosso repúdio à invasão da Ucrânia e oferecemos a nossa solidariedade ao povo ucraniano.

Pedimos à Rússia que retome o caminho da diplomacia para a restauração da paz.

Pedimos ao governo brasileiro que se posicione, unindo-se às nações que defendem a soberania da Ucrânia e a solução pacífica do conflito. 


Felipe d’Avila, João Doria, Sergio Moro e Simone Tebet.