Voando alto com a hipocrisia - Por Ismael Alves


A vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, presidente nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) é uma antagonista de si mesma. Em outras palavras, seus discursos não parecem bem alinhados com as práticas.

Opositora ferrenha do governo federal e da política de combate à pandemia adotada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido - que deveria ter sido melhor - Luciana é dona de fervorosos discursos em defesa  da vida quando o assunto é covid-19. No entanto, seu partido apoia a legalização do aborto.

No centro de uma polêmica,  Luciana Santos está sendo acusada - com fotos e vídeos -  de ter utilizado um helicóptero da Polícia Militar de Pernambuco para ir a uma festa particular no interior do Estado. De acordo com o Coronel Meira (PTB-PE), no dia 06 deste mês, quando Luciana estava ocupando interinamente o cargo de governadora, ocasião da qual o governador Paulo Câmara (PSB) fazia viagem ao exterior, ela teria saido de Goiana, no Litoral, com destino  até a cidade de Brejo da Madre de Deus, no Agreste, para participar de uma festa particular em uma propriedade privada pertencente ao ex-prefeito Dr. Edson Souza, atual secretário de Saúde de Gravatá, Agreste. O percurso, entretanto, teria sido feito com um helicóptero da Polícia Militar, além de mobilizar efetivos da PM e do Corpo de Bombeiros. 

Membros da própria sigla da vice-governadora têm criticado os gastos considerados supérfluos do presidente Bolsonaro com o cartão corporativo. Em uma das críticas feitas por Manuela D'Ávila (PCdoB), ex-deputada estadual de Santa Catarina que disputou o cargo de vice-presidente na chapa de Haddad (PT) em 2018, ela chega a classificar os gastos de Bolsonaro como "ações incoerentes com o discurso". E agora, Luciana? 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem