Gravatá | Joaquim Neto critica decreto de Joselito Gomes, nega irregularidades em obras do FNDE e faz graves acusações contra a gestão municipal


A acirrada polarização entre o ex-prefeito Joaquim Neto (PSDB) e o prefeito Joselito Gomes (PSB) ganhou mais um capítulo. Depois de ter sido alfinetado pelo socialista durante a inaguração do Parque Ambiental Janelas para o Rio, nesta segunda-feira, 18, o tucano decidiu mostrar as garras. 

Ao criticar um Decreto do prefeito Joselito que suspende as obras custeadas pelo FNDE sob alegação de irregularidades apontadas por auditoria, Joaquim Neto assegurou que todo o processo de obras oriundas do FNDE atende as normas exigidas pelo Ministério da Educação e afastou qualquer possibilidade de ato irregular.

Além das críticas, por meio de um 'textão' publicado nas redes sociais, Joaquim Neto destacou sua articulação junto ao então ministro da Educação, Mendonça Filho, resultando na conquista de um montante no valor de R$ 22 milhões para a construção de duas creches, duas escolas e quatro quadras polisportivas por meio do FNDE.

No contra-ataque, o ex-prefeito acusou a atual gestão municipal de ter "abandonado as obras [deixadas em andamento pelo seu governo] desde o mês de janeiro". O tucano ainda disparou mais uma séria acusação, afirmando que "um deputado oportunista" junto ao prefeito teria "tentado saquear os cofres do município com um contrato, sem licitação, de auditoria nas obras na ordem de R$ 600 mil, que foi barrado pelo TCE", escreveu.


Confira na íntegra a nota publicada pelo ex-prefeito:


Cada dia que se passa, vai ficando claro tudo o que foi dito em campanha: O Prefeito de Gravatá não governa e a Prefeitura está entregue a um Deputado oportunista e um monte de Fichas Sujas que estão saqueando os cofres da Prefeitura. 

Em dois episódios ele tentou ser Prefeito e não teve sucesso pela falta de autonomia e pela falta de capacidade administrativa:

Primeiro foi em uma radio dizer que “Se a justiça desse ganho de causa as 31 mil pessoas que realizaram o concurso, ele estava ali para fazer as nomeações” , foi desautorizado e assinou um decreto anulando o concurso.

O segundo momento que tentou ser o prefeito foi quando, na entrega do Parque Janelas para o Rio (obra que ficou quase concluída), na frente do Governador comemorou a morte de um adversário, uma fala que destruiu a imagem de Gravatá nacionalmente. Lembremos da luta que tivemos para recuperar a imagem da cidade depois das mazelas deixada pelo mesmo grupo.

Agora, para esconder sua incapacidade administrativa, assinar, sem saber o que assinou, um decreto dizendo que as obras das quadras e as escolas de tempo integral estão com irregularidades. Vamos aos fatos:

1. Foi com muita articulação política que consegui, junto ao Ministro Mendonça Filho, os recursos na ordem de 22 milhões para a construção de 02 creches, 02 escolas de tempo integral e 04 quadras;

2. Todos os projetos foram padrões do FNDE e minuciosamente analisado pelo Secretário de Infraestrutura do Município. Na análise realizada existem itens contemplados no Projeto, que não estão contemplados na Planilha Orçamentaria do FNDE, ex.: muro, subestação, dentre tantos outros itens que, junto com a terra planagem, serão pagos como contrapartida com recursos próprios do Município e que até dezembro de 2020, estas obras estavam andando em pleno vapor, com o sistema do FNDE alimentado, com medições fiscalizadas e atestadas pelos engenheiros responsáveis;

3. A partir de 01 de janeiro de 2021, estas obras foram abandonadas pela atual administração que não tem o menor zelo pelo dinheiro público, sendo passível de crime de responsabilidade, tanto o Prefeito quanto a Secretária de Educação por deixarem um volume de obras paralisadas sem nenhuma providência tomada;

4. O Prefeito, junto com o Deputado oportunista e os fichas sujas, tentaram saquear dos cofres do município um contrato, sem licitação, de auditoria nas obras na ordem de R$ 600 mil reais, que foi barrado pelo Tribunal de Contas com abertura de uma Auditoria Especial;

Como podemos ver, o Decreto que suspende as obras das Escolas de Tempo Integral, Quadras e Creches (obras paralisadas desde janeiro de 2021), é mais uma cortina de fumaça para, além de esconder sua incapacidade administrativa, continuar enganando o povo de Gravatá. Com isso, a população de Gravatá sofre mais uma vez na administração de um grupo que só consegue a destruição e fazer o mal para cidade.


Joaquim Neto


Conferir publicação original

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem