Dia do Servidor Público e o desmonte da carreira - Professor Márcio Bezerra






O desmonte promovido por gestores públicos está evidenciado por uma prática retrógrada que visa apenas beneficiar o famoso “curral eleitoral”. Ao invés de promover concursos públicos, cristaliza-se de forma mais latente a famigerada seleção simplificada.

Assim nasce uma de tantas dificuldades no serviço público e com essa primazia recai sobre os seguintes aspectos: as dificuldades com contas das previdências próprias, tendo em vista que, os contratos temporários contribuem para o regime geral (INSS), e a precarização das carreiras de Estado (nas áreas de educação, segurança e saúde), onde os profissionais contratados recebem bem menos do que os concursados – na saúde e educação.

Sou servidor público há quase 18 anos, e posso também advertir sobre bons gestores em nosso estado. Um gestor que vem se destacando na observância de um tratamento louvável aos atores municipais é o prefeito de Petrolina,

Miguel Coelho. Quero destacar as benesses que o mesmo vem desenvolvendo especialmente na área de segurança pública: aumento do efetivo além da aquisição de novas viaturas, aumento das remunerações e ainda, trouxe equipamentos de alta tecnologia para os operadores de segurança pública municipal (armamento e colete balístico). Percebe-se o quão o gestor se preocupa com os guardas municipais daquele município e o mesmo serve de referência não só para o estado, mas para todo o nosso país.

É preciso oferecer os louros devidos ao prefeito de Toritama, Edilson Tavares, um dos menores municípios em área territorial do estado, mas isso não o limita em oferecer a coletividade uma gestão eficiente e calçada em valorização dos servidores da guarda municipal. O mesmo já melhorou o salário dos agentes públicos no início da gestão e já garantiu que em 2022 oferecerá um considerável reajuste. Mas não para por aí. Edilson já comprou coletes balísticos e armas de fogo de última geração, para que os operadores de segurança se coloquem nas ruas da Capital do Jeans com sua integridade física preservada.

Infelizmente essa não é a lógica em outros municípios de Pernambuco. Pagar em dia é obrigação para todo o prefeito em pleno exercício do cargo. Isso não pode ser visto como algo surreal. O servidor público não é uma máquina e possui família!

Aristóteles dizia “o estudo do bem pertence à política, que é a primeira das ciências práticas.” O filósofo nos adverte sobre a importância da política na vida das pessoas, realmente ela possui essa premissa. E em se tratando de serviço público, ela se petrifica na busca de evidenciar a eficiência nos serviços prestados. Mas como prestar um serviço que visa à garantia dos direitos dos outros se os direitos dos servidores são alijados?

----

Márcio Bezerra – pós-graduado em Ensino de História do Brasil, pós- graduando em Filosofia e Teoria Social, pós-graduando em Políticas e Gestão em Segurança Pública, professor e Servidor Público.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem