Pernambuco aplicou 23.351 doses de CoronaVac de lotes interditados pela Anvisa; estado diz que monitora vacinados




Ismael Alves
politicanoforno@gmail.com
(81) 99139-7305

G1 - Pernambuco aplicou, desde julho, 23.351 doses de CoronaVac de lotes interditados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Eles foram produzidos em uma fábrica da China, sem certificação brasileira.

Ao todo, desde o início da campanha contra Covid-19, o estado recebeu 264.840 unidades do imunizante fabricadas pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), os pacientes que receberam as doses de lotes interditados serão acompanhados durante 30 dias, "para avaliação de possíveis eventos adversos". As doses foram recebidas pelo estado entre os meses de julho e setembro de 2021.

No sábado (4), dia em que houve a interdição cautelar pela Anvisa, o estado notificou os municípios para que interrompessem a aplicação dessas doses.

Foram, em todo o país, 25 lotes interditados. Pernambuco recebeu unidades que estavam em dois deles, somando as 264.840 doses. Os lotes são: 202107101H e L202106038.

Por meio de nota, a SES informou que ainda aguarda novas orientações do Ministério da Saúde sobre como proceder sobre a interdição cautelar.

"Até nova decisão, os lotes foram bloqueados no Sistema de Insumo Estratégicos do Ministério da Saúde, de forma a evitar a movimentação dos produtos", disse o estado.

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) em Pernambuco informou que, conforme orientação federal, os municípios foram notificados para separar os lotes interditados e mantê-los em quarentena, refrigerados em temperatura de dois a oito graus.

"Os municípios pernambucanos já foram informados da recomendação do rastreio dos usuários que receberam a vacina", disse a SES, por meio de nota.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem