Cortês | Presidente do SINSMUC acusa prefeitura de querer promover desmonte do sindicato e orienta servidores a não assinarem documento para desligamento da instituição



Ismael Alves
politicanoforno@gmail.com
(81) 99139-7305

A prefeita Fátima Borba (Republicanos) e o Sindicato dos Servidores Públicos de Cortês (SINSMUC) estão em pé de guerra desde o início do ano, quando teve início a nova administração municipal.

Nesta sexta-feira, 25, o presidente do SINSMUC, Enilson Quintino, encaminhou ao blog um arquivo de áudio por ele gravado, no qual acusa a prefeitura de "estar convocando os servidores para assinarem um documento saindo do Sindicato".

No mesmo áudio, o sindicalista orienta os associados a não atenderem a suposta convocação do governo municipal. Ainda de acordo com ele, a Justiça solicitou o bloqueio de um valor correspondente a sete meses de contribuição sindical que a prefeitura deixou de repassar para a instituição.

Segundo Enilson, os valores que deixaram de ser repassados ao SINSMUC, serão arcados pela prefeitura, e não pelos servidores, que ficaram pendentes diante da impossibidade de repasse em conta, devido a medida "ilegal" adotada pela prefeitura.

Além de contribuição sindical, SINSMUC e prefeitura protagonizam embates em pautas como o pagamento do salário de dezembro e 13° de 2020, que ainda não foram pagos aos servidores. Recentemente, o sindicato também se posicionou contrário a possibilidade de reajuste na alíquota de contribuição previdenciária do CortêsPrev, que de acordo com Enilson, poderia passar de 11% para 14%.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem