Em novo post, prefeitura de Gravatá volta a utilizar linguagem de gênero neutro: "vacinadx"




Ismael Alves
politicanoforno@gmail.com
(81) 99139-7305


A prefeitura de Gravatá, Agreste, tem tornado frequente o emprego de linguagem de gênero neutro nos canais institucionais de comunicação, nas redes sociais. Nesta sexta-feira, 28, um post informativo sobre covid-19, utilizou a palavra "vacinadx" para se referir às pessoas já imunizadas, advertindo que após a vacinação é preciso manter os protocolos de prevenção ao novo coronavirus. 

Na quarta-feira, 26, os perfis sociais da prefeitura haviam  escrito a palavra "todxs" em um post sobre fake news. 

O uso da linguagem de gênero neutro tem provocado debates e questionamentos, por não ser reconhecida pela norma culta da língua portuguesa. Amplamente defendida por movimentos que militam em defesa da causa LGBTQI+, a linguagem neutra é considerada como proposta de alteração para a língua portuguesa.

O movimento conservador também não concorda com o emprego da linguagem de gênero. Além de apontar a incompatibilidade com a morena culta do português, eles alegam tratar-se de doutrinação e introdução da ideologia de gênero, que tem por objetivo desconsiderar diferenças entre os gêneros masculino e feminino. 

Em Pernambuco, a deputada estadual Clarissa Tércio (PSC) tem se posicionado contrária ao emprego da linguagem neutra em órgãos públicos. Clarissa é esposa do vereador Pastor Júnior Tércio (PODE), do Recife. Recentemente, a deputada denunciou ao MPPE a utilização da linguagem de gênero neutro em uma escola da rede estadual em Camaragibe



Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem