Deputada Clarissa Tércio apresenta projeto para suspender lockdown e Isaltino Nascimento rebate



Ismael Alves
politicanoforno@gmail.com
(81) 99139-7305


FolhaPE - A deputada estadual Clarissa Tércio (PSC) apresentou, na manhã desta terça-feira (16), projeto de Decreto Legislativo para tentar barrar o lockdown no Estado. A parlamentar já se posicionou publicamente contra a medida por entender que, não funciona no controle do Coronavírus e é considerada ineficaz.

“Existem várias opiniões de especialistas que condenam o lockdown como uma forma de controle do Coronavírus. O Conselho Regional do Distrito Federal, por exemplo, emitiu nota no início desse mês, destacando a ineficácia da medida e afirmando que a restrição ainda maior de liberdade causa o aumento da incidência de transtornos mentais, o uso e abuso de álcool e/ou outras drogas, agravamento de demais doenças, além de prejuízo irremediável à economia”, citou a deputada.

De acordo com Clarissa, a população não aguenta mais. Segundo ela, são muitos trabalhadores precisando voltar aos seus trabalhos, levar o sustento das suas famílias, levar o pão de cada dia. Ela também destacou que os números oficiais emitidos pelo Governo do Estado apresentam pouca variação, com uma certa estabilidade, o que não justifica a determinação de lockdown, no estado.

O líder do Governo, Isaltino Nascimento (PSB), rebateu a iniciativa da parlamentar. Em um tom forte, o parlamentar afirmou que "coveiras e abutres adeptas ao genocida do Planalto atuam como avestruzes".

"O governador não é pusilânime. Governar é saber decidir e enfrentar as diversidades. As coveiras e abutres adeptas ao genocida do Planalto atuam como avestruzes e na dificuldade enterram a cabeça no chão sem compreender a dificuldade em volta em meio à crise muito grande em que a vida precisa ser preservada. Se o Governo Federal tivesse comprado no tempo certo a vacina, certamente não seria necessário tomar medidas mais drásticas como fechamento de serviços. A responsabilidade é do governo federal e das pessoas que o defendem", afirmou.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem