Recife | Requerimentos aprovados de Cida Pedrosa defendem prioridade na vacinação de cuidadores de pessoas com deficiência severa e eletrificação da comunidade de Vilas Boas



Ismael Alves
politicanoforno@gmail.com
(81) 99139-7305


A vereadora Cida Pedrosa (PCdoB) se pronunciou durante a reunião Ordinária remota da Câmara do Recife desta segunda-feira (15) para tratar de requerimentos elaborados por seu mandato. Os pedidos – que foram aprovados pelo plenário virtual – tratam da inclusão, no plano de vacinação contra a covid-19, de cuidadores responsáveis por pessoas com deficiência permanente severa, e da eletrificação da comunidade de Vilas Boas, no Barro.

Ao discutir o requerimento nº 440/2021, que pede a inclusão dos cuidadores em grupo prioritário da vacinação, Cida Pedrosa explicou por que eles precisam de atenção especial. “As pessoas com algum tipo de deficiência, em sua maioria, dependem de um cuidador ou responsável, que normalmente é alguém da família e que termina sendo exclusivo daquela pessoa. Se o cuidador adoece, a pessoa com deficiência fica desamparada”.

Tendo em vista a quantidade de pedidos de priorização a segmentos sociais e profissionais diversos, a parlamentar não deixou de refletir sobre a razão disso acontecer no atual contexto do país. 

“Sofremos desse jeito e discutimos a inclusão de novos grupos prioritários em virtude da falta de vacinas, que advém da falta de política de saúde de responsabilidade do Governo Federal. Estamos fazendo aplicações a conta-gotas. O Governo Federal não se antecedeu, não comprou [vacinas], não se articulou internacionalmente e jogou no caos o Brasil inteiro”.

A respeito dos requerimentos nº 441/2021 e nº 442/2021, destinados à Prefeitura e à Celpe, Cida Pedrosa salientou a necessidade de dar dignidade às pessoas que vivem na Vilas Boas. Ela estendeu o pedido a outra comunidade, Nova Conquista. 

“É uma ocupação extremamente bem organizada, com ruas largas, associação, igreja, armarinho, armazéns, vendas. A Prefeitura já faz alguns serviços lá, a exemplo de limpeza e desobstrução do córrego e do canal. Essa comunidade tem energia colocada pela própria comunidade, o que deixa as pessoas em risco”.

De acordo com Pedrosa, a razão apresentada por autoridades para não instalar equipamento público de fornecimento de energia elétrica no local era de que se tratava de uma área de preservação ambiental. “Essa questão já foi vencida pelo gabinete desta vereadora. Nós conseguimos provar que não se trata de área ambiental e temos um parecer da Prefeitura do Recife quanto a isso”.

--Publicidade--

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem