Coluna Fornalha do Direito - As indefinições dos 45 primeiros dias ou as meras alegações dos primeiros 40 dias? Quem sofre com isso é o povo - Por Francisco Santana


Francisco Santana
(81) 99746-2156


Mais uma vez vimos falar sobre... A câmara de Gravatá. Pois bem! Todas as vezes que a situação - base aliada do prefeito Joselito (PSB) - consegue obter uma decisão favorável, o presidente Léo do Ar (PSDB) reverte.

Contextualizando, o Excelentíssimo Juiz de direito da 2ª Vara cível, Luiz Célio de Sá Leite, acolheu os pedidos argumentados por Léo do Ar (PSDB) e pelo Ilustre Membro do Ministério Público.

Inconformados, a parte impetrante, Luiz Prequé (PSD) e aliados do Prefeito, recorreram e o desembargador suspendeu a decisão de primeiro grau - do Dr. Luiz Célio - e determinou novas eleições.

Quando todos já se preparavam para as formalidades o vereador presidente Léo do Ar recorreu e conseguiu suspender as eleições.

Nobres leitores, mais uma vez o presidente permanece, e assim já vão se passando 45 dias de governo e a câmara ainda não tem uma definição.

Para resolução do problema, o que falta? Pulso firme do Prefeito Joselito em resolver a situação. Ou falta os próprios vereadores sentarem e chegar a um consenso e resolver internamente?

A justiça faz sua parte, todas as decisões são fundamentadas, cada um que defenda seus argumentos... E o final disso tudo? O tempo está passando... e quem sofre com a inoperância do governo, e com a situação de indefinições da câmara é o povo de Gravatá.

----

Perfil do colunista - Graduado em Direito e pós-graduado em Processo Civil, o advogado Francisco Santana é discente do curso de Ciências Contábeis, MBA em Direito do Trabalho e Previdenciário e membro da Comissão de Direito Penal da OAB-PE.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem