Ticker

6/recent/ticker-posts

Estudante pernambucano aprovado para a Universidade de Harvard é recebido na Alepe /2021




Ismael Alves
politicanoforno@gmail.com
(81) 99139-7305


João Victor Arruda, de 17 anos, foi um dos três brasileiros – o único do Norte-Nordeste – a conquistar bolsa num dos mais disputados processos de admissão da universidade norte-americana. 


Na companhia dos pais – o taxista José Francisco e a professora aposentada Alcilene Patrícia, ambos de 57 anos, moradores de Camaragibe, no Grande Recife-, o estudante João Victor Bezerra de Arruda considerou sua visita ao Legislativo pernambucano, nesta quinta, 21, a consolidação de um sonho, e ao mesmo um importante reconhecimento que lhe deixou honrado.


Ele conquistou uma bolsa de 100 por cento na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, onde foi o único estudante do Norte-Nordeste aprovado num certame que teve dez mil inscritos em todo o mundo e apenas três brasileiros entre os aprovados – os outros dois são de São Paulo e do Distrito Federal. 


João Victor estudou o Ensino Fundamental no Centro Educacional Professora Jovelina, em Camaragibe, depois passou pelo Colégio Militar do Recife.


Com a bolsa do programa EducationUSA, uma iniciativa do Departamento de Estado norte-americano que abre vagas para estudantes de baixa renda de todo o mundo, o pernambucano vai realizar a graduação equivalente às de Ciência Política e Gestão Pública no Brasil, com duração de quatro anos. 


Ele e os pais foram recebidos no gabinete da Presidência da Alepe. Numa versão diferente da Aula de Cidadania, programa do Legislativo que recepciona estudantes pernambucanos para interagir e mostrar como funciona o Poder Legislativo, João Victor contou sua trajetória nos estudos, a admiração por Joaquim Nabuco – patrono do Legislativo estadual – e a confiança na política, que ele apontou como detentora de um poder que pode transformar a realidade das pessoas.


“Eu tenho a intenção de trazer tudo que eu vou aprender lá, com os professores renomados, dos setores do Prêmio Nobel, alunos extraordinários do mundo todo, e trazer essa bagagem cultural, trazer esse conhecimento para implantar no nosso país, e tentar melhorar um pouco a situação nas diversas áreas. Eu acredito muito em que muitas pessoas às vezes associam a política a algo negativo , algo ligado à corrupção, mas eu acredito muito no poder da política, no poder transformador que a políticas e a educação têm, principalmente na sociedade atual”.


Recepcionado pelo deputado Alberto Feitosa, do PSC, o estudante visitou o Plenário, as galerias, os Plenarinhos – onde as Comissões Temáticas se reúnem –, o Auditório Sérgio Guerra, entre outros ambientes da Alepe. Recebeu livros sobre a Revolução de 1817 e sobre Joaquim Nabuco. 


Alberto Feitosa destacou a conquista do jovem pernambucano como uma grande inspiração, não apenas para os estudantes. “João Victor hoje é uma inspiração para os políticos brasileiros, para todo o pessoal que compõe o corpo chanceler brasileiro, é uma inspiração para nós, pais, e é um exemplo para os jovens desse Brasil”.


Certo de que, com a sua conquista, pode mesmo vir a ser tornar uma importante inspiração, João Victor foi enfático ao ser perguntado se o fato de ser um nordestino trouxe mais orgulho pela conquista. Ele falou do preconceito ainda visto em relação aos moradores da região e disse que todos devem ter em mente que os sonhos não dependem do local onde as pessoas nascem. 


“Para mim, é muito importante mostrar à sociedade nordestina, que historicamente e naturalmente é uma sociedade mais marginalizada no contexto da sociedade brasileira, e trazer para eles essa conquista, servir também de inspiração para outros sonhadores nordestinos que talvez estejam vendo a minha história, e fazer eles pensarem que é possível’.


E o sonho de João Victor ganha mais velocidade a partir de setembro, quando ele segue para iniciar a graduação na Universidade de Harvard.


Publicidade-