Ticker

6/recent/ticker-posts

Morre Cordélia Machado, mãe de João Machado e avó de Gilson Neto, Ministro do Turismo

Foto: Internet/Reprodução


Ismael Alves
ismaelgravatafm@gmail.com
(81) 99139-7305


Faleceu na noite desta quinta-feira, 17, no Recife, Cordélia Lopes Machado Guimarães, aos 99 anos.  De família nobre e influente, Dona Cordélia era viúva do médico Gilson Machado Guimarães (in memoriam), considerado o expoente da cirurgia pediátrica. Dr. Gilson faleceu em 09 de janeiro de 1983.

Fruto da união matrimonial, Dona Cordélia deixa os filhos  João Machado - empresário e Diretor da Rádio Gravatá FM 92,3 Mhz -, Antônio Machado, Eduardo Machado,  Maria Dulce Machado, Maria Tereza Machado, do ex-deputado federal Gilson Machado (in memorian), do Engenheiro Civil Carlos Eduardo Machado e avó de Gilson Neto, atual Ministro do Turismo. 

A matriarca da família Machado faleceu de causas naturais em sua residência às 21h50. Seu corpo será cremado às 16h no Cemitério Morada da Paz. 

Gilson Machado Guimarães 

O médico Gilson Machado Guimarães morreu jovem, com menos de 70 anos de idade, no dia 09 de janeiro de 1983, mas deixou gravado o seu nome na história da Medicina, como um expoente da cirurgia pediátrica. 

Com ele trabalharam alguns dos principais cirurgiões pediátricos de Pernambuco, destacando-se Frederico Carvalheira, Gilberto Falbo, Genaro Sales, Antônio Augusto Pimentel, Fernando Cruz, Walter Cruz, Flávio Pabst, Álvaro Duarte, Ademir Rigueira, Miguel Doherty e Gildo Calabria no antigo IAPC, também através de concurso público, onde chegou a ser diretor médico.

Presença constante em congressos e mesas redondas como relator de temas, Gilson Machado ministrou cursos e publicou significativo número de trabalhos, levando toda sua experiência para o CREMEPE (Conselho Regional de Medicina), onde exerceu as funções de conselheiro em dois mandatos consecutivos.

Em 1941, ingressou como 2º tenente médico no Exército Brasileiro, servindo na 7ª Região Militar, no Recife. Dois anos depois, por ocasião da 2ª Guerra Mundial, foi nomeado cirurgião do Exército Norte-Americano, tendo atuado no Nordeste, prestando assistência aos militares brasileiros que atuavam nas bases do Recife. Em reconhecimento à sua dedicação e competência, em 1945 Gilson Machado foi condecorado pelo Governo dos EUA, através do general R.Wooten.

Graduado em 1936 pela Faculdade de Medicina da UFPE, teve a formação profissional completada em Boston, Massachusetts (EUA), onde estudou e trabalhou. Em 1937, tornou-se assistente da segunda Clínica Cirúrgica e Ortopédica do Hospital Manoel Almeida, hoje Maria Lucinda, serviço que veio a chefiar de 1943 até 1983, quando faleceu. 

Por concurso público, foi cirurgião do Pronto Socorro do Recife, que mesmo funcionando em condições bastante precárias na Rua Fernandes Vieira, no Centro do Recife, era considerado uma grande escola para os estudantes que pretendiam dedicar-se à cirurgia.

Com quase 20 trabalhos publicados nas mais destacadas revistas médicas do País, Gilson Machado foi homenageado, em memória, em 2000, pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Capítulo de Pernambuco, em solenidade ocorrida no Memorial de Medicina, na Praça do Derby.