Coluna especial | O conturbado e incógnito concurso de Gravatá - Por Ismael Alves

Imagem ilustrativa


Ismael Alves
ismaelgravatafm@gmail.com
(81) 99139-7305


Além da pandemia do novo coronavírus que provoca reflexos na vida das pessoas, o concurso público de Gravatá, Agreste, também conseguiu gerar prejuízos da mais diversa natureza para mais de 31 mil candidatos ao preenchimento das 515 vagas oferecidas para 155 cargos, transformado-se em um verdadeiro pandemônio. O que deveria ser uma porta aberta para a tão sonhada estabilidade financeira transformou-se num cárcere de incertezas. 

O Instituto ADM & TEC responsável por organizar o certame, retificou o edital por inacreditáveis 17 vezes, inclusive com mudanças nas datas de realização das provas, além de irregularidades que provocaram ação judicial impetrada pelo Sindicato dos Professores de Pernambuco, além das interferências do MPPE e TCE-PE. A aproximação das primeiras provas agendadas para este final de semana acumulava aproximadamente 400 pedidos de desistência de candidatos. 

A aflição maior caiu sobre os milhares de concurseiros com a decisão proferida pela 1ª Vara Cível da Comarca de Gravatá, que após acatar pedido do Ministério Público, suspendeu a aplicação das provas na quinta-feira, 03. A pandemia está entre as motivações, além de dispositivos legais que impedem a realização das provas e até mesmo indícios de irregularidades. A partir daí, o sofrimento de quem se preparou durante meses só aumentou. A apreensão, preocupação e falta de informação por parte da prefeitura e da ADM & TEC foram fatores que só potencializaram o imbróglio. 

Na tarde da sexta-feira, 04, véspera da primeira leva de provas, o Instituto ADM & TEC conseguiu, através de interpelação por meio de Agravo de Instrumento, obter decisão judicial favorável expedida pelo Gabinete do Desembargador Honório Gomes do Rego Filho, da 1ª Câmara Regional de Caruaru - 2ª turma, suspendendo os efeitos da liminar concedida pela Justiça ao MP, através da 1ª Vara Cível de Gravatá. 

Nessas alturas do campeonato a ADM & TEC havia emitido uma nota, no site, durante a tarde, informando que as provas seriam mantidas suspensas, temporariamente. A derrubada da liminar , já após às 17h, remeteu os candidatos, mais uma vez, ao fundo do poço das incertezas. Será que agora as provas seriam realizada? no WhatsApp da empresa já não era possível obter resposta. Uma mensagem eletrônica informava que o atendimento online encerra-se às 17h. 

Somente pela noite e, pela primeira vez a prefeitura utilizou as redes sociais para comunicar que as provas permaneceriam suspensas.  No meio de todo o embaraço estavam milhares de candidatos aos cargos, sem saberem o que fazer. Muita gente já havia até chegado de outras cidades e ocupavam pousadas e hotéis do município, no intuito de pernoitar na Suíça brasileira para fazer prova na manhã do dias seguinte. 

Neste sábado, 05, centenas de concurseiros fizeram questão de comparecer aos seus respectivos locais de provas, diante da incerteza do "vai ter/não vai ter". O concurso segue como uma incógnita. A única coisa que se tem certeza é que, todos estão no prejuízo, seja financeiro, psicológico ou de qualquer outra ordem. O concurso segue suspenso, imprevisível e incógnito.  Por baixo, considerando as isenções, pode-se deduzir um valor aproximado de R$ 2 milhões de reais com o pagamento das inscrições. 


Siga nossas redes sociais

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem