Gravatá | Dos 15 vereadores, 9 estão em clima de despedida após resultado das Eleições 2020



Ismael Alves
ismaelgravatafm@gmail.com
(81) 99139-7305


A Câmara Municipal de Gravatá, Agreste, terá uma mudança significativa devido o resultado do pleito eleitoral deste ano. Dos atuais 15 vereadores, 9 não conseguiram alcançar a reeleição. Todos tentaram renovar o mandato.  O percentual de mudança corresponde a 60% das vagas. 

Um detalhe curioso é que, dos 9 que ficaram de fora da nova legislatura, 6 são marinheiros de primeira viagem, ou simplesmente, vereadores de um único mandato. Outro ponto que merece ser levado em consideração é a expressividade na votação de alguns dos parlamentares que, apesar de não eleitos, provaram ser fortes detentores de votos. 

Os veteranos Júnior de Paulo, primeiro suplente do PSB, e Paulo Farias (PP), embora, não reeleitos, obtiveram expressivas votações, ficando com 781 e 762 votos, respectivamente. logo depois, surge Val do Ônibus na lista de não reeleitos, com 636 votos.

Já abaixo da marca dos 600 votos aparece Dode Flores (PSDB), que não conseguiu conquistar seu segundo mandato, mas teve 587 votos; depois dele, Marcelo Motos (PSB) aparece com 521 votos, não obtendo passaporte para a próxima Legislatura. 

Abaixo da casa dos 500 votos surge Bolo da Areia (PSB) com 489, seguido de Neo do Boi (PTB) com 383 e Gustavo da Serraria (PV) que não conseguiu conquistar seu quarto mandato legislativo, somando apenas 215 votos. Miaeiro do PSB foi o candidato a reeleição com menos votos, obtendo apenas 33.

Perca de votos 

Em percentual, comparando o resultado do pleito de 2016 com o de  2020, Miaeiro é o vereador que sofreu maior prejuízo eleitoral. O parlamentar, que foi eleito em 2016 com 978 votos, contabilizou apenas 33 nas eleições deste ano, o que representa uma perca de 945 votos, ou simplesmente, 96,6% do  seu eleitorado. Pessoas próximas ao vereador afirmam que o resultado é reflexo da sua desistência durante o processo eleitoral. 

O segundo vereador que mais perdeu votos nos últimos quatro anos é Gustavo da Serraria. O parlamentar foi eleito pela terceira vez em 2016 com 596 votos, mas não conseguiu a reeleição em 2020, obtendo 215 votos. Gustavo perdeu 381 votos, o equivalente a 64% da sua votação anterior;

Néo do Boi surge como terceiro colocado no ranking de perca de votos. Eleito em 2016 com 827 votos, nestas eleições o parlamentar conquistou 383, perdendo 498 em comparação com a eleição anterior, o que totaliza 56,6% dos votos a menos;

Marcelo Motos também perdeu um grande percentual do seu capital eleitoral. Sua vitória em 2016 foi sagrada com 1.071 votos, mas em 2020 teve apenas 521, ou seja, 550 votos a menos, o que corresponde a 51,4% de perca;

Bolo da Areia, que conquistou o primeiro mandato em 2016 com 874 votos, teve 489 em 2020. Significa que seus votos encolheram 44,1%;

Valo do Ônibus, eleito em 2016 com 827 votos, somou 636 em 2020. O resultado demonstra perca de 191 votos, ou, 23,1% a menos que o pleito anterior;

Paulo Farias retornou à Câmara Municipal em 2016 com 942 votos, mas não conseguiu aval para permanência nas eleições de 2020, mesmo com a expressiva votação de 762 votos. Comparando com 2016, teve 180 a menos, o que significa 19,2% de queda na votação;

Dos 9 vereadores não reeleitos, Júnior de Paulo é o que menos perdeu votos ao longo dos últimos quatro anos. Ex-presidente da Câmara e com vasta experiência no Legislativo, sua votação em 2016 foi de 863 votos. Já em 2020, Júnior conquistou 781, tendo 82 votos a menos. Em percentual, Junior perdeu 9,6% dos votos.

Levando em consideração o desgaste natural do mandato, não seria exagero dizer que seu eleitorado foi mantido e sua vaga só não foi garantida por falta de votos na contagem geral do próprio partido.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem