Câmara de Cortês aprova aumento salarial para secretários, vereadores, vice e prefeito; MPCO barra reajuste devido irregularidades



Ismael Alves
ismaelgravatafm@gmail.com
(81) 99139-7305


Cortês é uma pequena cidade localizada na Mata Sul de Pernambuco. É um município pobre. Qualquer definição econômica, além disso, é pura fantasia. Além das inúmeras consequências advindas da pandemia, a deficiência ou até inexistência de políticas públicas tornam a vida do povo mais difícil. 

Um município que tem estruturas escolares caindo aos pedaços, literalmente, é sinônimo de abandono, afinal, tudo que é próspero começa pela educação. Mas pelo visto, prioridade em Cortês são os salários de secretários, vereadores, vice-prefeito e prefeito. 

Na última terça-feira, 13, a Câmara aprovou um Projeto de Lei irregular com a finalidade de aumentar os robustos vencimentos de quem ocupa os respectivos cargos. Atualmente, secretários recebem R$ 3.500,00 e com a aprovação do Projeto de Lei passariam a receber R$ 4.000,00. Os vereadores sairiam de R$ 5.000,00 para R$ 7.000,00. O salário do prefeito seria reajustado para R$ 12.000,00.

O aumento da despesa  seria paga pelos cofres públicos. Em pleno Estado de Calamidade e em meio às Eleições Municipais,
resta apenas uma definição sobre o ocorrido, que é exatamente o jargão que ficou conhecido como marca do jornalista Boris Casoy: "Isto é uma vergonha!"

Graças ao Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO) o aumento foi barrado  por conter irregularidades. Para não ser injusto, devo observar que o vice-prefeito Eduardo Farias (PSB) nunca concordou com o aumento dos salários, por sinal, há quatro anos o seu salário é convertido em ações sociais; um compromisso de campanha que até hoje tem sido honrado. 

Os votos favoráveis para a aprovação do aumento dos salários partiram dos seguintes parlamentares: José Antônio, que é presidente do Poder Legislativo; Ademir; Admilson; Genário e Ivo Severino. Os vereadores são todos do PP, partido do prefeito Reginaldo Morais, que disputa a reeleição. O vereador Nidinho da Saúde não compareceu à reunião.
 



Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem