Aliadas em 2016 e adversárias em 2020: Mariana Medeiros e Nadjane Peixoto polarizam disputa pela prefeitura de Cumaru



Ismael Alves
ismaelgravatafm@gmail.com
(81) 99139-7305


O ex-prefeito Eduardo Tabosa (PSD), de Cumaru, Agreste,  ainda detém expressivo capital político no município. Subestimá-lo,  seria um erro. Também é fato que, o indeferimento da sua candidatura tenha o colocado em maus lençóis. Conquistar votos já é um grande desafio, mas isso fica ainda mais difícil quando se tem que, lutar na Justiça para, simplesmente, se candidato e, conseguindo, cair em campo com a marca do carimbo de ficha-suja.

Apesar da sua campanha continuar na rua, a Justiça Eleitoral considera, neste momento,  apenas as candidaturas majoritárias de Mariana Medeiros  (PP), candidata à reeleição, e Nadjane Peixoto (Cidadania), atual vice-prefeita que, também, postula o cargo de Chefe do Executivo.

Diante desse cenário, a força da mulher na política de Cumaru se mostra predominante, sem falar que, as vices das chapas de Mariana e do próprio Eduardinho, são mulheres. Com o ex-prefeito de fora, Mariana e Nadjane polarizam a briga pelo comando da cidade.

Em 2016, Mariana teve Nadjane como vice. Juntas, foram vitoriosas e alcançaram a votação de 6.512 votos sobre o então candidato Roosevelt Gonçalves, apoiado por Eduardinho, que teve 5.174 votos. De lá para cá, muita coisa mudou. A aliança entre Mariana e Nadjane foi rompida após uma sequência de desgastes. 

Mariana e Nadjane se enfrentam nas urnas. A vencedora do pleito será anunciada no dia 15 de Novembro. O resultado mostrá quem irá governar o município durante o quadriênio 2021-2024. Vale lembrar que, até lá, Eduardinho pode obter resultado favorável na Justiça e participar da disputa, podendo ser, até mesmo vencedor. Quem vai decidir é o povo. 


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem